sc.abra

A sanção da lei que obriga o uso de canudos biodegradáveis pelos estabelecimentos comerciais pelo governo estadual é contestada pela Abrasel. Segundo Raphael Dabdab, presidente da entidade, o segmento de bares e restaurantes é favorável à medida diante das questões ambientais, mas o caminho escolhido por Santa Catarina é equivocado. “Tudo foi baseado na lei aprovada no Rio de Janeiro, unidade da Federação que acabou com o consumo de canudos plásticos, mas aumentou em muito o uso dos copos do mesmo material”, argumenta. “Para um Executivo que preza pelo liberalismo econômico, é um contrassenso interferir de forma proibitiva e na relação entre
empreendedores e consumidores. A melhor alternativa deve ser o estímulo ao uso do canudo biodegradável, mas não a proibição abrupta daqueles de plástico”, explica. Abaixo, os principais pontos da lei:

- Os estabelecimentos devem utilizar canudos fabricados com materiais biodegradáveis, recicláveis ou esterilizáveis e reutilizáveis;
- Deverão ser embalados individualmente em envelopes hermeticamente fechados e com material biodegradável ou reciclável;
- Devem ser oferecidos espontaneamente, sem que seja solicitado pelo consumidor;
- Aqueles solicitados pelo consumidor devem ser disponibilizados gratuitamente;
- Os estabelecimentos devem dispor de contentores ou coletores para coleta seletiva e destinação adequada, todos em local visível e de fácil acesso.

Comentários