sc.abra

Em reunião realizada na manhã desta terça-feira (27), o governador Carlos Moisés abriu canal de comunicação com entidades empresariais para discutir os efeitos do aumento do ICMS sobre itens da cesta básica. Mesmo com a louvável iniciativa do Executivo estadual propor um grupo de trabalho para análise de uma nova política fiscal, as lideranças continuam preocupadas. Isto porque ficou pendente no encontro a definição do governo sobre iminentes aumentos. O Executivo tem apenas três dias para adotar medidas que neutralizem esta oneração no custo da alimentação dos catarinenses. Diante disso, as entidades estão otimistas de que o governo seja sensível, evitando o aumento dos preços de itens essenciais - o que afetaria não somente estabelecimentos, mas todos os consumidores -, principalmente os menos favorecidos, aumentando a desigualdade social. Assinam as entidades: Abrasel, ACIF, CDL de Florianópolis e Fortur.

Comentários