sc.abra

Covid-19: Pesquisa da Abrasel destaca comportamento atual do consumidor em bares e restaurantes

Superar o medo – econômico e de contrair a doença - é o principal desafio para a retomada do setor

O medo do contágio e a queda da renda dos consumidores são os mais relevantes gargalos para a retomada dos bares e restaurantes em Santa Catarina. A constatação vem de um levantamento da entidade realizado com 1372 pessoas, entre 11 e 17 de maio, em todas as regiões do estado, cujo objetivo foi justamente detectar os novos hábitos de consumo. “Mesmo com protocolos de segurança mais rígidos que outros setores e apesar de o segmento ser considerado de risco moderado pelo SUS, com a OMS afirmando que os alimentos não transmitem o vírus, os consumidores estão com medo de voltar aos estabelecimentos”, afirma Raphael Dabdab, presidente da Abrasel em Santa Catarina. De acordo com a consulta, 53% dos entrevistados ainda não se sentem seguros para voltar a frequentar restaurantes.

Segundo Dabdab, “a pesquisa demonstrou que boa parte dos consumidores tem pouco conhecimento para avaliar a segurança ao frequentar um restaurante, que basicamente se resume aos pontos de contato, muito menores do que ocorre em visitas aos supermercados, por exemplo”. Ele ressalta que o distanciamento previsto no protocolo de segurança reduz drasticamente o risco de contágio comunitário, uma vez que os clientes permanecem sentados na maior parte do tempo, o que garante a segurança. “Orientar o consumidor e dar visibilidade às medidas preventivas são as chaves para os empresários acelerarem a retomada dos seus negócios”, diz Dabdab.

A redução da renda é outro fator determinante para este cenário – 73% dos entrevistados tiveram seus rendimentos impactados. Destes, 21% tiveram uma redução da renda familiar superior a 50%. A opção pelo delivery foi a encontrada pelo público para consumir alimentos fora de casa – 63% dos consultados afirmaram ter aumentado a frequência de compra, sendo que 57% disseram ter aumentado o gasto médio por pedido nesta modalidade. “A recuperação da renda e do poder de compra, infelizmente, deverá demorar mais a ser superada do que o medo do contágio. Por isso, os empresários têm de repensar seu modelo de negócio à luz desta nova realidade”, alerta Dabdab. “O desafio de informar a população sobre as medidas de segurança para que possam ter um correto entendimento de onde estão os riscos e como evita-los não é somente das entidades e dos empresários, mas também de nossos governantes, que embora também tenham a sua sustentabilidade financeira comprometida pelo medo, insistem em alimentá-lo”, finaliza.

Com o objetivo de discutir os dados da pesquisa, Dabdab participará de mais uma edição do NSC Live Talks, no próximo dia 28 de maio (quinta-feira), às 21h, conversando com a jornalista Estela Benetti e debatendo estes aspectos.

Confira a pesquisa completa clicando aqui!

Comentários